Kotlin

(8 minutos de leitura) Kotlin é uma linguagem de programação compatível com o desenvolvimento do Google para Android. Se interessou pelo assunto? Vem ler nosso texto de hoje para ficar por dentro dessa linguagem que é uma das queridinhas das grandes corporações!

Kotlin

(8 minutos de leitura)


Kotlin foi criada pela JetBrain. Ela foi pensada para ter as características da linguagem Scala e Java, porém eliminando tudo aquilo que é desvantagem nesses ambientes.

É uma linguagem de programação de tipagem estática, open source multiplataforma, orientada a objetos.

Em 2017 foi anunciada pelo Google como sendo a linguagem oficial do sistema Android.

Se interessou pelo assunto? Vem ler nosso texto de hoje para ficar por dentro dessa linguagem que é uma das queridinhas das grandes corporações!


KOTLIN: O QUE É?

Como já dissemos anteriormente, Kotlin é uma linguagem de programação open source multiplataforma, é multiparadigma, sendo totalmente orientada a objetos, mas com algumas características de linguagem funcional, como por exemplo as funções lambda. Tem tipagem estática e é executada pela Java Virtual Machine (Máquina Virtual do Java). Pode ser usada para desenvolvimento web, mobile e desktop.

Kotlin tem muitas semelhanças com Java, dessa maneira é possível usar Java dentro do código Kotlin.

Em 2017 o Google se juntou à JetBrains, criadora do Kotlin e hoje as duas empresas mantém essa linguagem por meio da Kotlin Foundation.


PORQUE USAR KOTLIN?

Kotlin é uma linguagem enxuta e intuitiva, utiliza cerca de 40% menos códigos para representar a mesma coisa que o Java.

Outra característica importante é a curva de aprendizagem que é rápida e relativamente pequena. Contudo, quanto menos código tem que escrever, mais regras precisa lembrar. Por isso, Kotlin tem uma carga idiomática forte, o que quer dizer que se passa boa parte do tempo aprendendo de que forma deve-se escrever um código nessa linguagem, após passados os primeiros momentos com a sua sintaxe básica.

Atualmente, grande parte das linguagens de programação são ao mesmo tempo funcionais e orientadas a objetos e Kotlin não foge a essa regra, suportando ambos os paradigmas.

Em geral, as linguagens de tipagem estática oferecem duas vantagens ao programador. A primeira delas é a segurança e a segunda a performance.

1) Segurança: erros de escrita do código são detectados durante a compilação. Em contrapartida, linguagens de tipagem estática são mais rigorosas, não permitindo por exemplo que uma variável troque de tipo. Contudo, isso acaba sendo benéfico, uma vez que evita defeitos não intencionais e que podem levar a falhas ou ao comportamento imprevisível do sistema.

2) Performance: o conhecimento prévio dos tipos permite a otimização do código de máquina. Por esse motivo linguagens de tipagem estática tendem a ser mais performáticas, uma vez que a checagem dos tipos não precisa ser feita enquanto o programa está em execução.


Kotlin mostra os erros cometidos na hora da escrita do código durante a compilação, em vez de dar erro na hora da execução do código, muito tempo depois. Isso torna a linguagem mais rigorosa, mas evita defeitos não intencionais.

Kotlin é compatível com a JVM, JavaScript e o Native. Pode ser usada no Android e na web com Spring ou qualquer outro framework Java. No Android, em especial, diversas alterações na API original foram distribuídas por meio da biblioteca KTX para que programadores Kotlin ficassem mais à vontade ao utilizar os recursos dessa linguagem.

Ao ser compatível com a JVM, Kotlin se torna viável como linguagem para aplicações web, Android e Desktop, assim como Java. Isso também quer dizer que podemos utilizar Java e Kotlin em um mesmo projeto. 

Kotlin também pode ser compilada para JavaScript através do Kotlin/Js. Além disso, ela possui uma biblioteca nativa chamada kotlinx.html, que torna a programação de aplicações front-end web mais fáceis de serem escritas com essa linguagem.

Já o Kotlin Native, é um projeto mais novo que procura viabilizar a utilização do Kotlin em plataformas mais restritivas quanto a execução de máquinas virtuais, tais como o iOS. 

Hoje em dia, muitas grandes empresas usam Kotlin, tais como: Google, Amazon, Netflix, Pinterest, Uber, Foursquare, etc.

Essas são algumas das ferramentas de desenvolvimento que aceitam Kotlin: Spring, Gradle, Vert.x, Spark Java, Codename One, JetBrains, entre outras.


SINTAXES KOTLIN

Aqui vai um pouco sobre a sintaxe do Kotlin:


VARIÁVEIS

Existem dois tipos principais: val e var.

Val: utilizada para declarar constantes. É a forma mais recomendada para declaração de variáveis. Requer sua inicialização logo que é declarada. 

Var: declarar qualquer variável cujo valor pode ser alterado. Não precisa ser inicializada no momento da sua declaração.

Ambas são declaradas utilizando o pascal notation, que é da forma abaixo:

nome_da_variável : tipo_da_variável


TIPOS BÁSICOS

Todos os tipos básicos do Java estão presentes no Kotlin, é importante dizer que em Kotlin todos os tipos são objetos, ou seja, apenas se trabalha com os wrappers do Java, mas não com seus tipos primitivos correspondentes.

- Long: inteiro de 64 bits.
- Int: inteiro de 32 bits.
- Short: inteiro de 16 bits.
- Byte: inteiro de 8 bits.
- Double: ponto flutuante de 64 bits.
- Float: ponto flutuante de 32 bits.
- Boolean: igual ao Java. Pode receber o true ou false.
- String: em Kotlin, podem ser criadas com aspas duplas ou triplas.
- Char: os caracteres são representados por esse tipo e não podem ser tratados diretamente como números, sejam eles inteiros ou de ponto flutuante.


CLASSES

As classes em Kotlin são final por default, isso significa que elas não podem ser estendidas. O tipo classe é definido da seguinte maneira:

class NomeDaClasse


FUNÇÕES

Para declarar uma função em Kotlin usa-se a palavra reservada fun seguida pelo nome da função, e logo em seguida os parênteses com a definição dos tipos de entrada da função. Também é necessário declarar o tipo de saída.

fun printERetorna(frase: String): String {
print(frase); 
return frase;
}


EXPRESSÕES CONDICIONAIS

O mecanismo mais comum de lógica condicional é a estrutura if-else, comum em muitas outras linguagens de programação.

if  (/*condição*/ ) {
	// bloco de código que será executado caso a condição seja verdadeira...
} else  {
	// bloco de código que será executado caso a condição seja falsa...
}


ARRAYS

Difente do Java, Arrays são representados pela classe Array possuinte de funções get e set e outras funções membro úteis, além da propriedade size. 

val numerosQuadrados = Array(5) { i -> ( i * i ) }

val numerosDobrados = Array (5, { i -> 2 * i } )


KOTLIN / JAVA

Kotlin é totalmente interoperável com o Java, ou seja, pode-se usar Kotlin quando quiser em algum projeto Java. Isso mesmo, num mesmo projeto podemos ter as duas linguagens trabalhando juntas.

Essa relação é bidirecional, isto é, podemos inserir código Java num projeto Kotlin e utilizar o código Kotlin a partir de Java. 

As APIs que executam no Java também executam em Kotlin.

Já a sintaxe do Kotlin, se comparada a do Java, é mais simples e concisa e, portanto, é vantajosa em relação ao Java. 


KOTLIN / JAVASCRIPT

Kotlin for JavaScript: você consegue transpilar código Kotlin, a biblioteca padrão e quaisquer dependências compatíveis para JavaScript, tanto do lado do cliente como do servidor.

A biblioteca padrão de Kotlin está disponível para uso através do NPM (Node Package Manager), que é o gerenciador de pacotes do Node.js padrão, assim o site oficial recomenda utilizar Kotlin/JS através de plugins Gradle, que é gerenciador de dependências e build de aplicações back-end baseadas na JVM.

Os plugins kotlin.js e kotlin.multiplataform fornecem uma maneira central e conveniente de configurar e controlar projetos Kotlin direcionados ao JavaScript.


KOTLIN / NATIVE

Essa compila código Kotlin para binários nativos, que podem ser executados sem uma máquina virtual. É um backend baseado em LLVM para o compilador Kotlin e implementação nativa da biblioteca padrão.

Kotlin/Native foi projetado para permitir a compilação para plataformas onde as máquinas virtuais não são possíveis, como dispositivos embarcados ou iOS. Ele resolve as situações em que um desenvolvedor precisa produzir um programa independente que não requer um tempo de execução adicional ou máquina virtual.


CONCLUSÃO

Como vimos no texto de hoje, Kotlin tem crescido muito no mercado de programação e tem conseguido cada vez mais o apoio e muitas contribuições da comunidade, que vem crescendo em todo o mundo. De acordo com o Google, mais de 60% dos 1000 principais aplicativos da Play Store utilizam Kotlin. Então, por que não começar a estudar mais sobre essa linguagem?


A beecrowd aceita mais de 20 tipos de linguagens de programação, incluindo Kotlin! Assim, use a abuse da beecrowd para se aperfeiçoar nessa linguagem.


Gostou do nosso conteúdo? Então siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro de mais informações e acompanhe o nosso blog.
Compartilhe este artigo em suas redes sociais:
Avalie este artigo:
[yasr_visitor_votes size=”medium”]

Conteúdo

Nossos artigos mais recentes

Leia sobre as últimas tendências na área de tecnologia
Blog 23-05-min
Você é apaixonado por programação e está sempre em busca de maneiras...
Blog 21-05
A tecnologia blockchain está transformando várias indústrias por meio dos aplicativos descentralizados...
Blog 16-05
Neste texto iremos falar sobre um assunto primordial na programação: o bem-estar...

Extra, extra!

Assine nossa newsletter

Fique sempre atualizado com as novidades em tecnologia, transformação digital, mercado de trabalho e oportunidades de carreira

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. Venenatis facilisi.